Como se produz conteúdo para televisão

Conteúdo para televisão é produzido de maneira profissional. Isso se deve ao fato de que o tempo de televisão custa caro e deve ser rentável. Um programa precisa ser atrativo para obter audiência e rentabilizar, não apenas nas visualizações, mas também para se elevar na cadeia de horários mais nobres ou menos. Isso também classifica o quanto ele vale para “abrigar” comerciais em seus intervalos.

Isso significa que um programa de televisão bem feito precisa de pessoas qualificadas, estúdios, câmeras, roteiros, objetos cenográficos e figurinos. Comerciais que vão para o meio de conteúdos tão bem produzidos, precisam ser feitos com igual dedicação (ou até superior). Mas se sua empresa, banda ou grupo artístico não possui os recursos físicos necessários para colocar suas ideias na telinha, existem muitas formas de fazer isso!

 

Conteúdo amador

Na hipótese mais econômica, é possível seguir o estilo Hermes & Renato, e se utilizar de objetos comuns e equipamentos amadores para produzir seu conteúdo. Dependendo da ideia, e de qual o canal onde ela será veiculada, isso abre espaço para a produção de um conteúdo econômico e para a geração de novos investimentos conforme a coisa cresce. A internet, por outro lado, permite, incentiva e encoraja esse comportamento, pois sabe que a audiência para esse conteúdo específico é bem grande e era pouco explorada até algum tempo atrás.

 

Produção terceirizada

Outra alternativa para a produção de qualquer tipo de conteúdo para a televisão, é a produção terceirizada. Você pode encontrar uma Produtora de vídeos, especializada nessa área. Isso elimina a necessidade de possuir equipamentos e instalações próprias, além da possibilidade de obter consultoria sobre diversos assuntos que tangem a produção de um filme. É esse o caminho que as agências de publicidade percorrem, depois de terem um roteiro aprovado pelo cliente em mãos. Visite uma produtora e saiba como elas funcionam!

Infográficos tornam tudo mais fácil. Veja como!

Infográficos são representações visuais que apresentam dados e explicam questões complexas de uma forma alternativa. Eles encaixam em sua composição textos breves, figuras e esquemas, que facilitam a interpretação e fazem o conteúdo ser muito menos maçante. Seu uso é amplo no âmbito jornalístico, mas é comum encontrar infográficos em manuais técnicos, educativos e científicos. Hoje é chamado carinhosamente de jornalismo visual, e tem dado às pessoas muito mais acesso a informação. Se você é um usuário assíduo das mídias sociais, com certeza já deve ter visto alguns desses pelas páginas que visita. Eles servem até para fazer memes!

Usos comerciais do infográfico

Infografia também tem usos comerciais. Funciona muito bem para explicar as relações entre produção e rendimentos, ou peso e potência… Tudo vai da criatividade e da necessidade. Infográficos são ótimos para finalidades comerciais, pois dispensam textos maçantes na página de um site, ou reduzem diversas páginas de uma apresentação de slide e sintetizam grande parte do conteúdo. E não é só por economia de espaço: facilitar o entendimento do interlocutor e torná-lo mais propenso a gostar do que ele vê, coloca as coisas a seu favor.

Outra capacidade interessante inerente aos infográficos é a visualidade. Até uma criança é capaz de interpretar uma imagem e seu dado, antes de entender o que está escrito. A claridade e a qualidade da mensagem transmitida garantem a resposta desejada!

 

Como produzir infográficos

Se você precisa de infográficos, pode contatar um designer e fornecer um briefing com as informações e o objetivo que você deseja atingir. Se seus recursos são muito pequenos, ou se a função que esse infográfico vai desempenhar não vale o investimento, existem ferramentas gratuitas na internet que podem te ajudar a fazer tudo sozinho.

Entretanto, se você deseja um infográfico produzido profissionalmente para uma finalidade mais séria, é sempre possível encontrar uma produtora. Se você estiver no sul do Brasil, procure por uma produtora de vídeo em Curitiba.

Motion Graphics são divertidos e descomplicados

As vezes a ideia é criar um comercial, mas usar pessoas e um cenário realista não faz muito bem o perfil do seu produto ou público alvo. É aí que entram os gráficos animados, também conhecidos como Motion Graphics. Eles servem o propósito de tornar um vídeo mais dinâmico e fluente, sem perder o caráter informativo. São ótimos para prender a atenção durante o início de vídeos, durante a apresentação de dados densos e tantas outras coisas que podem tirar a atenção inicial da sua audiência.

 

O que são Motion Graphics?

Motion Graphics são, por definição, uma mistura de conceitos de design e cinema. É uma tendência que vem desde os anos 50, quando artistas gráficos foram chamados para criar aberturas e vinhetas para filmes e programas de televisão, visando criar impacto visual e dinamismo. E é daí que vem o primeiro mercado para o qual esse setor atua: O cinema!

Estando intrinsecamente ligado ao desenvolvimento tecnológico e à computação gráfica, é notório que os outros dois segmentos seriam a Televisão e o Vídeo digital (como no Youtube e em games!). Entretanto, você pode aplicar motion graphics por onde achar melhor. No seu site, nos seus vídeos, para explicar seu serviço, contar uma história e tantas outras utilidades. Claro que isso exige um pouco de habilidade técnica, mas se você procurar bem, pode achar uma boa produtora de motion graphics para chamar de sua!

 

Características dos Motion Graphics

É possível dizer que, como qualquer desenho animado, um dos objetivos das animações é o poder de utilização do elemento lúdico: criar situações anteriormente impossíveis, usar elementos inusitados para trazer informações e histórias diferentes. Isso é possível pois, ao criar os desenhos, você está manipulando diferentes camadas de vetores, desenhos, fotos, vídeos e muito mais. Não é bacana?

Se interessou? Procure um profissional da área e saiba mais!