Parque Nacional de Aparados da Serra


Rota: Porto Alegre (RS)/Osório (RS)/Terra de Areia (RS)/Três Cachoeiras (RS)/Mampituba (RS)/Praia Grande (SC)/Cambará do Sul (RS)/Tainhas (RS)/Terra de Areia (RS)/Osório (RS)/Porto Alegre (RS)

Distância percorrida: 490 km [tracklog]

Localizado na fronteira entre os estados do Rio Grande do Sul e de Santa Catarina, o Parque Nacional de Aparados da Serra tem como objetivo básico a preservação dos ecossistemas da mata atlântica, das florestas de araucária e do pampa gaúcho. O destaque do parque é o Cânion do Itaimbezinho (do Tupi-Guarani: Ita = pedra, Aí’be = afiado), formação que possui 5,8 quilômetros de extensão, largura máxima de 2 quilômetros e altura máxima de cerca de 700 metros.

O caminho natural para a região dos Aparados da Serra, saindo de Porto Alegre (RS), é a RS-020 – mas quem disse que o asfalto é o melhor caminho? Em vez de chegar lá pela serra, optamos por seguir até Praia Grande (SC) e de lá subir a SC-450/RS-427 até a entrada do parque, caminho que se revelou tão bonito quanto complicado por conta das pedras soltas. Na volta, descemos a serra pela Rota do Sol (estrada cantada em prosa e verso aqui no Diário de Bordo) e, noite fechada, percorremos os 150 km de BR-101 e BR-290 que nos separavam de nossas casas.

Gracias pela parceria, bugrada!

Rota dos túneis


Rota: Porto Alegre/Terra de Areia/São Francisco de Paula/Taquara/Novo Hamburgo/Porto Alegre

Distância percorrida: 380 km

Apesar da cara amarrada do tempo na manhã de hoje, resolvi subir na moto e atravessar o novíssimo Túnel Morro Alto na BR-101. Aproveitando o ensejo, me programei para seguir adiante e passar também pelos túneis da RS-486 (Rota do Sol) e decidir nos Campos de Cima da Serra por onde voltar.

Depois de tanto reclamar aqui no blog do trecho gaúcho da BR-101, finalmente vou poder elogiá-la: exceto por uma ponte após o acesso (no sentido sul/norte) da Rota do Sol, os 90 km que separam Osório de Torres estão duplicados e em ótimas condições; a RS-389 (Estrada do Mar) que era a alternativa à esburacada “briói” agora passou a ser apenas mais uma estrada da região.

Como eu imaginava, o Túnel Morro Alto é digno de nota: adequadamente iluminado, sinalizado, ventilado, com sistema de som e anti-incêndio… Coisa de primeiro mundo, bem de acordo com as novas condições da BR-101 no Rio Grande do Sul. Já que eu subiria a Rota do Sol, na saída do túnel me preparei mentalmente para encarar os buracos que há muito incomodavam os usuários da RS-020 entre Tainhas e São Francisco de Paula e tive uma grata surpresa: aquele trecho está um tapete e nem de perto lembra o queijo suíço de poucos meses atrás. Adiante de São Chico a 020 segue em boas condições, mas a ausência de acostamento e o trânsito de veículos pesados (tratores, inclusive) exige atenção redobrada.

Fica a dica: a rota dos túneis vale uma motocada.

Rota do Sol


Rota: Porto Alegre/Osório/Terra de Areia/São Francisco de Paula/Taquara/Gravataí/Porto Alegre

Distância percorrida: 360 km

Dirija com seriedade.

Essa frase, que mais parece um slogan de campanha pela paz no trânsito, estava grafada no para-choque de um caminhão (com placas do RJ) que trafegava hoje pela manhã na BR-290 quando rumávamos, eu e o Avélinho, para a Rota do Sol: por conta dela, acabei fazendo uma projeção desse cenário, onde todos usam o indicador de direção, só buzinam quando necessário, respeitam a sinalização e os outros motoristas, etc etc. Quem sabe um dia?

O primeiro sábado do inverno (que deveria ser de sol, pelo menos segundo a previsão do tempo) amanheceu nublado e assim se manteve ao longo do dia: em algumas localidades mais altas por onde rodamos (como a região de Cambará) a estrada simplesmente sumiu debaixo de um forte nevoeiro. Desnecessário dizer que a sensação térmica estava para lá de desconfortável, apesar do termômetro da moto indicar razoáveis 10 graus; o mesmo frio, entretanto, fez a bela cidade de São Francisco de Paula ficar tomada pelo perfume de nó de pinho na lareira e pinhão cozido.

Conforme eu havia comentado no artigo 1º Moto Chuleio (20/06/2009), o trecho da BR-101 entre Osório e Morro Alto está em grande parte duplicado; mais ao norte, entretanto, há muitos desvios e piso deformado, exigindo cautela e baixa velocidade dos usuários: em Terra de Areia, o acesso à Rota do Sol está mal sinalizado e não conseguimos identificar a forma de mudar de rodovia (da BR-101 para a RS-486) para quem transita no sentido sul/norte. Além deste, apenas o segmento da RS-020 entre o acesso da Rota do Sol e São Francisco de Paula exige atenção (especialmente por parte dos motociclistas) em função dos buracos no asfalto.

Mais Rota do Sol aqui no Diário de Bordo:

Motos no acostamento da Rota do Sol

Viadutos de acesso aos túneis da Rota do Sol

Entrada de um dos túneis da Rota do Sol

Pichação em um dos túneis da Rota do Sol

Ligação entre os túneis da Rota do Sol

    REDES:  

  • rss
  • youtube
  • Twitter
  • flickr
  •  
  • PESQUISAR NOS ARQUIVOS: